Oi, gente! Tudo bem com vocês? Uma das coisas que venho me preocupando agora é sobre ter ou não uma empregada ou diarista para fazer os serviços de casa. Desde que me conheço por gente, meus pais sempre tiveram alguém para lhes ajudar com as tarefas da casa, pois os dois trabalhavam fora o dia todo e voltavam extremamente cansados, além de ter de cuidar das filhas. Fui criada nesse ambiente. Sei que precisarei de alguém para me ajudar na minha casa quando eu casar porque o Elton e eu trabalhamos fora o dia todo e tenho certeza que não teremos pique para cuidar de uma casa.

Por isso, já venho pesquisando sobre o tema há um tempinho. Diante das mudanças trazidas com a promulgação da PEC das Domésticas – que iguala os direitos dos trabalhadores domésticos aos dos demais trabalhadores urbanos e rurais, com benefícios como hora-extra e FGTS – algumas pessoas estão cogitando a possibilidade de ter uma diarista, pois, além do custo ser mais baixo, essa profissional não tem direito a férias, 13º salário, hora-extra, pois ela é autônoma.

Para ter uma empregada doméstica legalizada é preciso assinar a Carteira de Trabalho da funcionária, incluindo o nome do empregador, endereço, CPF, tipo de local onde o trabalhador atuará e a função que exercerá. Somente a partir desse registro que o empregado poderá se inscrever no Instituto Nacional de Previdência Social (INSS). Os especialistas também orientam a elaborar um contrato de trabalho. Isso faz com que seja gerado um vínculo trabalhista.

Com relação às diaristas, o indicado é que o empregador peça à trabalhadora que assine um recibo em que consta o pagamento do dia de trabalho, pois não terá vínculo. Para evitar reclamações na Justiça, é importante que a atividade da diarista não seja caracterizada como periódica e habitual. É recomendável que o empregador:

  • Contrate a diarista por apenas uma ou duas vezes por semana,
  • Alterne os dias de trabalho,
  • Evite o pagamento mensal,
  • Pegue recibo de todos os pagamentos que efetuar, e,
  • Verifique se ela presta serviço em outros locais e dias diferentes.

Além disso, para que fique caracterizada sua situação de autônoma, a diarista deve estar inscrita na Previdência Social como contribuinte individual e efetuar seu próprio recolhimento da contribuição previdenciária, mês a mês, de acordo com os seus rendimentos. A inscrição como contribuinte individual deve ser feita pela própria diarista nas Agências da Previdência Social.

E aí, o que se enquadra melhor na sua situação? Escreva para a gente!

Bom, é isso, pessoal!

Beijinhos

assinatura_fernanda_besagio

  • Ana C.

    Pois Fernanda trabalhar depois vem a facul e chfgar em sasa sempre tem algo para fazer complcado para os dois( meu marido divde as tarefas comigo).
    Mas para nos ainda nao da, espero q logo de pra uma diarista, vllw pelo post.

    • Oi, Ana!

      Eu sei bem como é… Acredito que uma diarista supriria bastante as suas necessidades!

      Beijinhos

  • Ana C.

    kkkk desculp as letras erradas e o tablet

  • Luciana Colaço

    Então, eu tenho empregada… trabalho fora o dia todo, tenho 2 crianças pequenas e pra mim não dá pra ficar sem empregada.

    • Oi, Luciana!

      No seu caso, é realmente essencial ter uma empregada!

      Beijinhos

  • Mariana

    Olá, o post é excelente!
    Acho que agora poderia rolar uma lista com as diaristas por cada região, né?
    Porque a grande dificuldade que encontro é em achar uma diarista compromissada e que efetue um bom serviço!
    Acho que ajudaria muitas pessoas!

    Beijos e parabéns pelo morando sem grana, cada dia melhor!

    • Oi, Mariana!

      Muito obrigada!

      Não entendi a sua sugestão… Você gostaria de uma lista com nomes de diaristas?

      Beijinhos

  • Mariana

    Querida Fê,

    Obrigada pelo post esclarecedor,
    estou pensando seriamente em
    contratar uma diarista, quando me casar.
    Devido a correria do trabalho, sei que não terei pique
    para realizar todas as tarefas domesticas.

    Um super beijo da sua fã.

    • Oi, Mariana!

      Infelizmente, com a vida corrida que temos, não dá para ficarmos sem alguém para nos ajudar…

      Beijinhos e obrigada

  • andrea

    gente, isso de ter q ter uma empregada pq ambos trabalham e estudam e mito!!!! sou “juntada” (pretendo casar ainda rsrsrs) ha dez anos, nos dois trabalhamos e estudamos e nunca precisei contratar uma diarista!!! so o que fazemos e dividir as tarefas de acordo com a disponibilidade de cada um. E a faxina pesada fica para os dias em que ambos estao de folga. Simples assim e economiza muito!!!

    • Oi, Andrea!

      Depende muito da rotina do casal!

      Beijinhos

    • Nayara

      Andrea concordo em gênero, número e grau, passei quatro anos trabalhando das 7 as 13, estagiando das 13 as 17 e estudando das 19 as 23, e não vou falar que era fácil nao, mas sempre demos conta de tudo e ainda cozinhava para levar no outro dia..

      Eu já quis muito ter uma diarista, para aliviar um pouco o fardo, mas por causa da profissão do maridão nao achamos nenhuma que desse pra confiar em deixar em casa, ai comecei a refletir e gastar 400 reais por mês por uma faxina semanal nao é a melhor opção economicamente falando!! rs
      Eu tenho orgulho de dizer que trabalho, estudo, me divirto e cuido da minha casa com a ajuda do maridão!

  • Anna Flavia Ganut

    Oi Fê! Eu tenho uma diarista, que vem duas vezes por semana, e cuida da casa e da roupa. Tenho uma bebê de 6 meses e a moça cuida também da roupa dela. Para mim, é o suficiente, até porque eu faço questão de cozinhar todos os dias a nossa comida. Acho que a empregada vale a pena se o casal chega muito tarde e/ou se não cozinha. É bacana ter uma comidinha fresquinha 🙂 E amei as suas dicas sobre a PEC. Acho que é uma discussão beeeeeem longa, rs. Bjinho!!

    • Oi, Anna!

      As diaristas ajudam muito a rotina do casal… Acredito que é muito importante ter uma, pelo menos, duas vezes por semana!

      Beijinhos

  • Oi Fê, ótimas questões a serem observadas!!!!

    Por enquanto vou tentar me virar sem empregada, no máximo contratar uma diarista uma vez ou outra!!!

    Beijocas, adorei as dicas!!!

    http://casaroucomprarbike.blogspot.com.br/

    • Oi, Pâmela!

      Acredito que a diarista lhe ajudaria bastante…

      Beijinhos e obrigada

  • Gabriela Savarege

    Oi fê,sou casada a 7 meses e meu marido mora a 6 meses em são Paulo,só vem pra casa fds!Eu tenho uma diarista,toda semana ela vai,só q intercala,numa semana ela faz faxina e na outra passa roupa!Eu trabalho e estudo,saio de casa as 5 e volto as 23!Meu marido me ajuda fds mas nao acho justo a gente ficar a semana toda sem se ver e fds fazer faxina!digo q nao vivo mais sem a Cristina!!!rsrs

  • Luisa Branco

    Creio que uma casa onde só esteja eu e meu marido seja fácil de manter limpa, pois como diz o ditato “Ambiente limpo não é o mais se limpa e sim o que menos se suja”, tentamos manter a ordem e fazer aquela manutençãozinha, como deixar a louça e banheiros sempre lavados, chão limpo, tudo em seu devido lugar, etc. O pesado eu prefiro deixar pra fazer JUNTO com uma diarista quando me sobra tempo, pois muitas não limpam direito, estragam as coisas e desperdiçam muito… Dessa maneira, não canso a diarista e não me estresso também, pois em instantes tudo está limpinho e bem feito! É corrido pra mim, pois trabalho e estudo a noite, mas vale o esforço pois serviço de casa sempre vai estar à fazer, dispensamos muito tempo com isso. O tempo que perderia pra ficar me matando em algo, uso para descansar, me cuidar e cuidar do meu marido, o que realmente faz um casamento! Sendo assim, a diarista é uma mão na roda pra manter tudo em ordem.

    Beijos

  • Pablo

    Bom dia Fernanda.
    Minha mãe contratou uma diarista (2x por semana – 3h por dia), não emitindo recibo.
    Certa feita, ela pediu para cessar as diárias exigindo-lhe 13º e féria, coisa que foi negada de plano.
    Ameaçou-a de leva-la à Justiça do Trabalho.
    Há algo a fazer?
    Obrigado pela atenção.