Já que vocês me apoiaram e mostraram interesse em conhecer mais a Simplicidade Voluntária, decidi criar este “mini-guia” de como começar e se manter. Mesmo que você ache muita coisa para sua realidade – que eu respeito, claro! – tenho certeza absoluta que em muitos pontos vai rolar vontade de praticar e se manter praticando. Esse é o meu maior objetivo aqui: mostrar que a vida pode ser boa, saudável, simples e feliz sem muita dificuldade e cara feia.

Também quero aproveitar para deixar claro que não sou contra compras e outras tantas delícias da vida. Vocês vão notar isso nas escolhas que faço no meu dia-a-dia e ver que a Simplicidade Voluntária te convida a viver bem e a té mesmo ter,  só que com um propósito e razões diferentes das que antes você tinha para adquirir.

Arregace as mangas, esforce-se e venha comigo 🙂

 

simplicidade-voluntaria-todas-as-suas-premissas

Montei uma arte que exprime todas as premissas da Simplicidade Voluntária. Eu tinha mostrado apenas 3 no post passado mas aqui deixo todas. Mas antes cabe um parênteses para explicar a diferença que há entre os conceitos de Simplicidade Voluntária, Minimalismo e Frugalidade:

Vida simples ou simplicidade voluntária: Para Thoreau é “sugar todo o tutano da vida e se defrontar apenas com os fatos essenciais da existência, para aniquilar tudo o que não é vida, e para, quando morresse, não descobrisse que não tinha vivido!”. Já Duane Elgin define como sendo “uma maneira de viver exteriormente mais simples e interiormente mais rica, um modo de ser no qual nosso eu mais autêntico é posto em contato direto e consciente com a Vida” [Duane Elgin]. Na concepção de Elgin, simplicidade voluntária não tem nada a ver com pobreza, pois esta é debilitante, degradante e quase sempre imposta, não se trata de escolha.
Minimalismo: Para Leo Babauta “é simplesmente se livrar de coisas que você não usa ou precisa, criando um ambiente organizado e uma vida simples, despojadamente simples. É viver sem uma obsessão com coisas materiais ou uma obsessão em fazer tudo e muita coisa”. Já para Joshua e Ryan (The minimalists), minimalismo “é uma ferramenta utilizada para se livrar dos excessos da vida em favor de se concentrar no que é importante para que você, de modo que possa encontrar satisfação, felicidade e liberdade”.
Frugalidade: Para Joe Dominguez e Vicki Robin, “é equilíbrio. Ser frugal é usar adequadamente, administrar sabiamente o dinheiro, o tempo, a energia, o espaço e os bens materiais. A frugalidade é algo assim: não é demais e não é muito pouco, é adequado. É o suficiente”.

A diferença entre vida simples, simplicidade voluntária, minimalismo e frugalidade – Por Marcos Nonato

principios-simplicidade-voluntaria

 

simplicidade-voluntaria-como-começar

Estou pensando em mostrar pra vocês, a partir da semana que vem, um pouco da minha rotina em casa, no trabalho e com a alimentação para notarem que aqui tem café no bule e que a bagaça acontece de verdade. Não é balelinha. Então eu explico como começar, mais ou menos da forma que eu comecei. Assim:

Durante a Semana

  • Ao acordar levante-se com calma e alongue-se.
  • Se você tem algum tipo de credo ou rito religioso, faça uma rápida pratica, como uma oração, por exemplo.
  • Ao se vestir procure colocar algum toque de alegria, cor e conforto em suas roupas. Vista-se para se sentir bem e confortável e não só para “impressionar” alguém.
  • No café tente introduzir uma fruta, um chá natural, um pão com cereais, diminua um pouco o sal e açúcar das coisas e sempre que possível beba água. Recicle as sobras e embalagens.
  • Mesmo que esteja atrasado ou precise correr para o trabalho, tente não praguejar e sim sempre que possível procurar se acalmar e respirar calma e lentamente para afastar a tensão da correria.
  • Comprimente com sorrisos, acenos de cabeça e gestos de gentileza as pessoas. Vez em quando ofereça seu lugar no transporte público a alguém com ou sem motivo aparente. Por exemplo: Uma pessoa com uma bolsa pesada, outra com a cara de triste, alguém radiante de felicidade e por aí vai.
  • Ao chegar no trabalho cumprimente as pessoas com carinho e respeito. Esteja pronto para oferecer sua ajuda e atenção para quem está precisando desabafar ou de um conselho simples. Evite rodas de fofoca e de chacota.
  • Vez em quando levante-se e dê uma esticada na coluna, braços e pernas. Tome bastante água no decorrer do dia e troque os petiscos industrializados por frutas, oleaginosas, barras de cereais, iogurte sem corantes e outros.
  • Se você está alí trabalhando, realmente esteja. Se você não vê a hora de ir embora todos os dias e empurra as tarefas com a barriga, talvez seja hora de rever suas habilidade e currículo para sair. Acabe com o clima de competição e saiba que perder nem sempre é ruim. Te fará enxergar seus princípios e o das outras pessoas.
  • Almoce com calma, coma devagar e faça um prato sempre variado com itens saudáveis. Experimente diminuir um pouco os excessos.
  • Quando estiver voltando pra casa, se possível, leia ao invés de ficar apenas no celular. Ouça músicas calmas e alegres.
  • E todas as vezes que enfrentar problemas ao invés de estourar, respire e se acalme primeiro. Afaste-se da situação para raciocinar e só emita opiniões quando tudo estiver mais tranquilo. Raciocine baseado na razão primeiro.

 

Aos finais de Semana

  • Descanse o máximo que puder.
  • Se tiver uma próxima de você, vá a feira e experimente comprar novas frutas, legumes e verduras para passar a semana. Cuidado apenas para não trazer em excesso e estragar na geladeira.
  • Importe-se com pessoas que estão “a baixo” de você. Pergunte como está o dia e a família do seu porteiro, da faxineira, do atendente da lanchonete…se puder ajudar, ofereça ajuda mas se não for possível mostre o quanto se importa.
  • Dedique um tempo de qualidade para estar com a família e com os amigos
  • Dedique um tempo pra você. Coloque leituras em dia, faça tratamentos de beleza em casa e informe-se como está a situação da sua cidade, país e do mundo.
  • Cobre por mudanças onde achar que precisam delas. Não seja uma pessoa alienada com os problemas a sua volta.
  • Aproveite para reciclar, doar ou jogar fora tudo o que você não precisa mais em sua vida e sua casa.
  • Pense no cardápio da semana e se possível adiante o preparo e congelamento de alimentos.
  • Divirta-se da forma mais natural possível. Aproveite atividades ao ar livre. Sonhe com sua próxima viagem e faça planos.

 

***

 

Gostou?

Essa é a parte mais chatinha que é a do aprendizado. O que vem agora é a melhor parte que é a de começar a praticar. Fácil não vai ser mas o mundo precisa de pessoas prontas para remarem contra a maré da maldade e da mesmice. Até amanhã 😉

Beijos!

NO COMMENTS