Oi, pessoal

Hoje temos o terceiro e penúltimo post sobre o Projeto Mochila Criativa / Buenos Aires e vamos falar do momento mais aguardado pelos viajantes: a diversão!

Ficamos no centro de Buenos Aires, que tem uma atmosfera de cidade antiga por conta da sua arquitetura e muito reforçada pelo jeito de ser dos argentinos, mais contidos. Como aqui no Rio as pessoas tem um perfil extrovertido, senti muito a diferença ao estar em contato com eles lá. Veja bem, os argentinos não são grosseiros, apenas reservados. Mesmo ao serem simpáticos você vê um limite nessa interação com o outro. Vou puxar uma sardinha para o nosso lado: os argentinos que mais interagiram com a gente já tinham conhecido (e amado) o Brasil.  : P

Como eu disse no último texto, existem pontos turísticos que você fica um tempo e curte o lugar e outros apenas para conhecer mesmo e bater fotos. Dos lugares que colocamos no roteiro, Palermo foi o único local que não fomos. Primeiro porque pegamos uma baita chuva no primeiro dia, o que reduziu o planejamento. Segundo porque conhecemos tantos lugares do tipo “paisagem” ( Jardim Japonês, El Rosedal e Praças) que eu já to zen até casar.

E aí que nosso roteiro ficou assim:


Rua Florida: Pra quem AMA lojas de marca ou uma bela duma muamba, esse é O LUGAR. Lojas para todos os orçamentos com uma infinidade de produtos, desde roupas até comida. A Florida é composta por quarteirões que você perde de vista. Tem um fluxo bom de pessoas. Não é muvuca mas é sempre bom ficar com um olho no padre e outro na missa. Você passeia pelas quadras ao som de tango
“câmbio, câmbio, Chicos, câmbio?”. Sério. A cada 5 passos tem alguém pra trocar seu dinheiro. Curtam a Florida, vale a pena.

Praça San Martin: Fica em uma das extremidades da Rua Florida. É legal para umas fotos e para descansar depois de percorrer os quarteirões infinitos.

Madero Este e Puerto Madero: Ri-que-za. Prédios modernos, ruas amplas e restaurantes lindos. Em especial os que ficam às margens do Rio de la Plata. Valem umas fotos e pelo menos uma vez comer por lá. De noite é ainda mais bonito, porque é quando você vê mais movimento nas ruas e as luzes dão um ar especial.

Café Tortoni: Amor Eterno! Um lugar lindo e aconchegante. Te leva ao passado com inúmeras referências artísticas. Atendimento excelente. Você ainda pode fazer um tour lá dentro para conhecer alguns ambientes que ficam mais ao fundo. Indico para café da manhã ou lanches no fim da tarde. Bateu saudade!

Casa Rosada / Plaza De Mayo: A Praça de Maio é bonitinha e tem ao fundo a Casa Rosada. Uma mega arquitetura linda. Faz parte daqueles pontos que você bate foto e vai embora. Porém, para quem gosta de registrar detalhes, vale a pena ficar um tempinho clicando partes da Casa.

Caminito: Era minha grande expectativa. A área que engloba as casinhas coloridas e restaurantes é bem pequena, menor do que se espera ao ver imagens pela internet. Ainda assim, é lindo. Tudo é muito artesanal e vibrante. Vale a pena tirar foto de cada canto e curtir um dos restaurantes de lá. O único ponto mais tenso – e vale ressaltar – é que Caminito fica no Bairro La Boca, considerado extremamente perigoso por eles. A ponto do lugar ter um “cordão de isolamento” da polícia. Acho que vale contar aqui que nas minhas empolgações fotográficas cruzei essa fronteira sem perceber e rapidamente um guarda veio me avisar que daquele em ponto em diante “eles não garantem nada”. Dá pra curtir bastante o local mas aqui também é bom ficar atento.

post3_img_caminito

Floralis Generica/Recoleta: A Floralis é uma mega (mesmo) escultura que fica na Praça das Nações Unidas, no bairro da Recoleta. Esquema bate-foto-e-vai-embora. Falando em Recoleta, é um bairro agradável com feirinha nos finais de semana. Você também pode conhecer o cemitério de lá, que faz parte dos pontos turísticos. Mas viajar pra ver cemitério…hum…não.

post3_img_geral

Jardim Japonês: Japão é vida, né, gente? O jardim japonês é maravilhoso. Ótimo para fotos e principalmente para você sentar com seu amor em um dos banquinhos à sombra de uma das árvores lindas que tem lá. Não marquem tempo, falem de vocês, relembrem como se conheceram, de situações divertidas e dos momentos legais que vocês tiveram. Celebrar o amor num Jardim Japonês é bênção em dobro. Lá também tem um restaurantezinho – japa, claro – e um quiosque – não japa. A entrada é paga.

El Rosedal: Um parque que também é ótimo pra sentar e relaxar. E tem gansos histéricos.

Bairro Chinês: Muito simpático! Uma versão micro – e chinesa – da 25 de março ou do nosso Saara aqui no Rio. Lojinhas cheias de muamba, pessoas pra todo lado e nenéns de olho puxado correndo sérios riscos de terem suas bochechas apertadas. Nível médio de muvuca e ponto turístico super indicado, também pelos restaurantes.

post3_img_jardim_japa

Feira de San Telmo: De todos os lugares visitados, a feira é de longe o mais legal. Você encontra de tudo: desde antiguidades (que é o ponto forte) até produtos atuais. Restaurantes, lojas de roupa, ambulantes, apresentações artísticas pelas ruas, gente do mundo todo. Separe um dia só pra isso. Ande com calma pelas ruas e curta a diversidade argentina. Bateu saudade de novo.

Uma dica muito útil é usar o ônibus de turismo. Ele roda praticamente o dia inteiro e você pode soltar nos pontos que quiser e retomar a viagem ao voltar para aquele ponto, seguindo para o próximo destino. O intervalo entre os ônibus é de 20 minutos, às vezes menos. Você pode comprar uma passagem para um ou dois dias de turismo. Prático, barato e sem preocupação. A visita aos pontos sem descida dura 3:30h.

Dos lugares que comemos, além do café tortoni:

Cafe Plan B: Lá eu descobri que os Argentinos não comem arroz. Logo, os pratos não vem acompanhados dele. #meumundocaiu
A comida veio em menos de 5 minutos, literalmente. Ótimo atendimento, mas não curti o gosto da comida. De uma forma geral eu não achei saborosa a comida argentina, prefiro um tempero mais forte. Mas cada um é cada um, né?

Mostaza: Um Fast Food argentino sensacional. Mesmo preço de outros do ramo com um hamburguer beeeem maior. Saboroso e ótimo atendimento.

Havanna: Clássico-que-tem-que-ser-visitado. Tem loja em todo canto. Os alfajores são uma delícia. O doce de leite é uma delícia. O frappé é uma delícia. Separa uns trocados pra levar alguns na mala!

Brasas Argentinas Buffet e Grill: Em Puerto Madero, com vista pro Rio de La Plata. Ótimo local, variedade no cardápio e atendimento bacaninha.

Todos Contentos Restaurant Chino: Divirta-se tentando entender o cardápio chinês-castelhano e supreenda-se com o prato! Comida gostosa (pra mim, a mais saborosa dentre os restaurantes que visitei) e bom atendimento.

Nono Bachicho: O único dos restaurantes que não curtimos. Demora em trazer o pedido, sem refrigeração e comida ruim. Fica em uma das ruas da Feira de San Telmo.

Levamos R$ 2.000 convertidos em Peso, para nós dois. E ainda sobrou. Levamos também uns dólares de extra. Pegamos táxi em algumas ocasiões, sendo que as corridas mais caras são para o aeroporto mesmo. Entre 270 – 320 pesos do Centro para o Aeroporto Internacional. Claro que de acordo com seus interesses é sempre bom ter uma grana a mais. Shows de tango e passeios de barco são bem mais caros, entre outros.

Separe umas horas pra caminhar pela cidade, bater perna também é legal. Vá ao mercado, compre bebidas que não tem por aqui, experimente! Veja as pessoas, como se comportam, como se vestem, isso também é viajar!

Semana que vem temos o nosso último post. Até lá!

Bruno Haulfermet

  • Ioná A.

    Bruno! Dá uma vontade de pôr o pé na estrada quado leio seus posts! rsrs. Gostei de tudo, principalmente da parte que diz:
    ” Levamos R$ 2.000… para nós dois.” rsrs. Isso me deixa tão animada…! 🙂 Abraço!

    • Ioná A.

      * quando rsrs

      • Oi, Ioná. Que bom que o texto empolgou! Ë um pezinho de meia fácil de fazer, né? E rende bem pelos dias, sem excessos, claro..ahaha. Obrigado pelo carinho!
        Bjs

  • Carla Cordeiro

    Meu sonho é viajar para a Argentina, mas ainda está um pouco distante pois as passagens ainda estao bem caras.
    estou de olho nos preço , qualquer dia eu sei que verei uma promoção imperdivel e conhecei esse lugar fantastico.

    • Daqui a pouquinho você consegue, Carla! Já vai separando um trocado. Você vai amar a viagem! Bjs

  • Rebeca Senara

    Bruno, estou querendo ir na minha lua-de-mel. Ganhei o hotel que fica no Centro na Av. Corrientes. Eu e meu Noivo teríamos que ter quanto para curtir 5 dias lá?
    Não quero depender de agência e guias. Acha que podemos nos virar sozinho. Vamos dias 08/09/2014.

    Tem alguma dica.? Heeelp *-*

  • Oi, Receba

    Desculpe a demora! rs
    Com certeza vocês conseguem se virar sozinhos.

    De acordo com esse roteirão que fizemos, gastamos juntos R$ 2 mil para 4 dias e 3 noites. Para 5 dias você pode colocar um pouco mais, sempre lembrando de ter um excedente que possa te dar suporte caso surja algum imprevisto ou mesmo se você quiser fazer passeios mais caros, como shows de tango e passeios de barco.

    Passar aperto nunca é bom e em país alheio é sempre mais tenso, né?

    Bjs e boa viagem!