Oi, gentem 😀 Deixa eu contar uma história pra vocês…

Lá na Idade Média, quando os camponeses não conseguiam vender sua produção excedente nos mercados, eles trocavam por outros produtos nas ruas, a um preço mais baixo. Essas trocas comerciais chegaram até a interromper guerras, para que os vendedores pudessem trabalhar em paz. E as feiras, então, se tornaram verdadeiras comemorações, com saltimbancos e malabaristas divertindo o povo, enquanto as pessoas iam de barraca em barraca.

Por aqui, esse costume das feiras chegou por meio dos portugueses, que trouxeram o conceito de “mercados ao ar livre”, onde eram comercializados produtos da lavoura, da pesca, além de mercadorias produzidas em casa.

O que importa mesmo é que a gente continua a-do-ran-do uma feira, não é verdade? Aqui em Goiânia, cada bairro tem sua feira semanal, onde os moradores podem comprar frutas, verduras e legumes fresquinhos, direto dos produtores. Porém, as mais populares são as feiras comerciais, aquelas onde se compra de tudo: roupas, bijuterias, quadros, calçados…

E vou listar aqui nossas três feirinhas mais queridas, para vocês se esbanjarem quando aterrissarem por aqui  🙂

feira-da-lua-goiania

Feira da Lua acontece todos os sábados, das 17 h às 22 h, na Praça Tamandaré, há mais de 20 anos. Criada em 1993, inicialmente com a exposição de 250 feirantes, conta hoje com 1.240 bancas expostas, e reúne moradores e turistas em busca de roupas, calçados, acessórios e comidinhas (tem até yakissoba feito na hora!). E a coisa ficou tão organizada que os frequentadores ouvem a própria rádio da feira, a Rádio Lua, anunciando sempre as promoções oferecidas pelas bancas, avisos sobre achados e perdidos e, claro, as músicas preferidas da galera.

feira-hippie-goiania

Essa tem história! Começou na década de 1960, quando os hippies expunham suas peças de artesanato no Parque Mutirama (parque de diversões municipal). Depois, eles foram para a Praça Universitária e, posteriormente, para a Praça Cívica, Avenida Goiás até o local atual: a Praça do Trabalhador. Ufa!

Mas, todas essas mudanças fazem sentido: a feira foi crescendo tanto que precisou de muito espaço – não é a toa ser considerada a maior feira especial da América Latina, com mais de 6 mil expositores! Aqui, você encontra todo tipo de artesanato, roupas, calçados e alimentação. Por isso, atrai compradores até mesmo de outros estados, que, pelo baixo preço das peças, acabam comprando para revender em suas cidades. A feira funciona das 7h às 14 h, mas é bom chegar bem cedo para conseguir ver as bancas com mais tranquilidade – a feira é BEM lotada!

feira-do-sol-goiania

A ideia de trazer o produtor para junto da comunidade, que assistiria a elaboração de peças artesanais e pinturas em tela ao ar livre, foi o que motivou um grupo de artistas a solicitar a criação da Feira do Sol, assim conhecida por estar localizada na praça de mesmo nome, no setor Oeste. Realizada aos domingos, das 16 h às 20 h, é mais tranquila e tem suas barracas dividas em “setores”: roupas, acessórios, alimentação e quadros, além de ter um espaço reservado para a crianças.

Querem conferir mais informações sobre nossas feiras? Basta dar uma navegada no site da prefeitura de Goiânia e ficar de olho nas novidades destas e outras feiras da cidade:

goiania.go.gov.br/feiraslivres

 Beijos e até a próxima!

assinatura_luciana-gomides

  • Tais

    Adoro a feita hippie ela tem muitas opções e preços atrativos…

  • Oi, Tais!Sim, a Feira Hippie é o marco das feiras em GYN! rsrsrsrs

    Continue acompanhando nossos posts para mais dicas quentinhas 😉

    Bjos!