Lá vem eu falar de dinheiro no meio do mês. Quem tem conta pra pagar sabe que por esses dias já tá tudo na mão dos credores e você com a mão no bolso vazio. Seria cômico se não fosse trágico. Mas viver de tristeza é um atraso e hoje eu quero falar sobre como estamos dividindo as contas da casa e alcançando dois resultados: Finanças plenas e um casal que não se desentende mais por dinheiro.

Vai parecer tudo muito simples mas o básico é facilmente o mais esquecido. Prepare o extrato bancário e vem comigo!

momento-sinceridade

Achei um absurdo quando ouvi de uma conhecida que ela não sabia quanto o marido ganhava. De achar um absurdo até ficar sem fala ao saber que um montão de pessoas vive no escuro em seus relacionamentos por não tocarem no assunto “dinheiro” em casa, foi um pulo. Talvez você não esconda o quanto ganha mas pode ter assumido ou terceirizado ao outro o controle do dinheiro.

É assim aí?

Aqui já foi. O Thiago pagava as contas e só ia me dizendo: “esse mês não dá pra fazer isso”, “agora não dá pra comprar aquilo” e eu folgava na desculpa de “não manjar de finanças” para não me preocupar. Eu achava que já estava fazendo muito em trabalhar e injetar dinheiro na casa. Controlar ficaria então com o cara formado em Exatas.

Um dia participamos da palestra Finanças para Casais da Roberta Omeltech e a máscara caiu. Percebi simplesmente que todos os sonhos que tínhamos NUNCA IAM PRA FRENTE porque os dois não estavam empenhados (eu em me envolver com as finanças e o Thiago por me cobrar isso). Saímos de lá decididos a mudar e hoje, finalmente, estamos trilhando juntos o primeiro caminho para um dos nossos grandes sonhos: estudar fora.

Não é fácil mas os dois precisam deixar as desculpas de lado e se esforçar em serem sinceros e envolvidos.

 

compromisso-assumido-hora-das-contas

Assumido o compromisso é hora de fazer contas. Se você acha um porre esse parte, aprenda só o básico que já já eu dou umas soluções de lambuja procê. Por enquanto essa conta simples vai dizer o quanto é JUSTO cada um contribuir financeiramente na casa. É assim:

Digamos que a pessoa “A” ganhe R$ 2.000 e a pessoa “B” – R$ 3.000, totalizando R$ 5.000. Daí vocês tem de despesas fixas da casa (água, luz, aluguel, etc) – R$ 2.000, certo? O cálculo de divisão proporcional será:

calculo-proporcional-divisao-de-despesas

 

Sacô? Gostou da minha arte feita às 23:55 da noite passada? hahahahahaha!

E essa é a nossa forma de divisão: quem ganha mais contribui mais. Claro que em momentos difíceis um sempre ajuda o outro e vamos caminhando. Amanhã vou falar de divisão de custos da casa para que nunca mais você gaste demais em uma coisa e deixe outra sem fazer.

Alright? Okay?

Té mais. Beijos da Sam  =]

 

 

NO COMMENTS