Pra mim, Morar Sem Grana não quer dizer pobreza e muito menos ser ‘mão de vaca’. No meu ponto de vista, Morar Sem Grana é um estilo de vida.

É saber se organizar, reaproveitar as coisas e o tempo, gastar o dinheiro que se ganha com as coisas certas e da melhor maneira para poder aproveitar o que resta pra realizar sonhos, comprar bens de consumo, guardar para o futuro… cada um com os seus planos.

Faz parte também de Morar Sem Grana saber cuidar bem das compras e da cozinha.

Minha vó fala que quem sabe se organizar nisso, economiza muito dinheiro – e olha, minha vó é a pessoa mais organizada financeiramente que eu conheço na minha vida. Um dia falo mais dela pra vocês.

Ela fala que o papel da mulher dentro de uma casa – o que nos dias de hoje pode-se substituir pelo papel de quem cuida da cozinha na ‘comunidade família’ – é cuidar sempre das quantidades de comida, observar os preços, reaproveitar alimentos… tudo pra se comprar menos e jogar menos coisa fora. A regra é reduzir o exagero e reaproveitar sempre!

A parte mais difícil de morar só com o marido é aprender a cozinhar pra duas pessoas. No começo a gente joga mesmo muita comida fora!

Hoje, depois de pouco mais 2 anos de casada, já tenho meus truques. Algumas lições eu trouxe da casa da minha mãe, como congelar os bifes, a lingüiça ou qualquer outro tipo de carne de forma que dê pra retirar porções pequenas a cada refeição que vamos cozinhar. Isso vale também para o nosso queridinho pão de queijo e agregados. Em alguns casos vale a pena pagar mais caro em algumas coisas, como o filé de frango que encontramos nos supermercados que vem congelados separadamente, pra jogar menos comida fora depois. Pensa: descongelar 1kg de frango daqueles que vem nas bandejas e custam em média R$2 mais barato, para duas pessoas. Ou vocês comem frango a semana todinha ou vão acabar jogando fora boa parte dele. A vantagem de congelar as porções separadamente e de comprar o frango que já vem desta forma é otimizar este processo, tanto em relação ao desperdício quanto em relação ao tempo gasto pra preparar um refeição.

Por falar nisso, ahhh o tempo! Onde ele anda que eu não o tenho encontrado?

Poucos de vocês sabem, mas eu tenho um bocado de empregos. Trabalho numa loja de móveis e decoração durante o dia, cuido do meu blog pessoal, cuido do Morando Sem Grana, escrevo meus posts pra cá, faço projetos online de decoração e ainda, muito esporadicamente, decoro casamentos e faço convites e lembrancinhas! Ufa! Precisava de uns 2 clones pra dar conta de fazer tudo direitinho… e ainda tem a Camila dona de casa, que chega do trabalho todo dia e prepara janta pro maridinho e dá atenção pro cachorrinho, que é quase um filho.

Além disso, é raro o final de semana quem fico em casa. Minha cidade Natal, onde meus pais e os pais do marido moram, fica há uma hora de distância de Uberaba e é lá que o André faz especialização aos finais de semana. Então é inevitável que pelo menos de 15 em 15 dias a gente passe o final de semana fora de casa.

Mas este final de semana foi diferente. Fomos de manhã e voltamos no meio da tarde no sábado. Deu tempo de dar aquele cochilo revigorante de tarde e acordar com a corda toda pra organizar a casa! Tava louca por um final de semana desses!

Estava eu na cozinha lavando a louça depois da janta pensando em como guardar um mega pé de alface na geladeira. Ia ter que mudar ele de saquinho porque o que veio do mercado tinha rasgado, mas eu só tinha saquinhos pequenos… o jeito era lavar tudo e colocar em dois saquinhos. Foi quando eu pensei: Peraí! E se eu lavar e ralar/picar as verduras da semana e deixar tudo prontinho pra virar salada todos os dias de noite?

Eu amo salada. De verdade. A queridinha da vez é beterraba + cenoura + pepino japonês + alface… E foi o que eu fiz! Beterraba, pepino japonês, cenoura, repolho, alface… foi tudo pro higienizado e processado. Coloquei tudo em saquinhos separados, amarrei direitinho e voltei pra geladeira.

A beterraba costumamos comer crua, ralada no mesmo ralo da cenoura, assim como o pepino japonês. Com o pepino de vez em quando eu faço aquele Sunomono – saladinha que a gente come sempre nos ‘Japa’ da vida – pra variar um pouco. O repolho gosto de fazer refogado com molho de tomate de vez em quando, ou colocar na sopa. Então uma parte eu piquei em fatias grossas e a outra eu bati no processador com aquela lâmina de fatiar. Sai como você tivesse picado ele fininho, igual a mãe e a vó da gente faz e a gente não tem tempo/paciência pra fazer. Importante lembrar que é melhor lavar o repolho depois de fatiado/picado. Fica mais fácil de tirar qualquer sujeirinha que tiver entre as folhas dele, que são muito fechadinhas.
Já a alface, eu só soltei as folhas, joguei fora as que não estavam boas, lavei e guardei nos saquinhos novos e limpos as outras. Vejam como ficou tudo organizadinho.

Post Salada_2

E a saladinha pronta! Nessa tem beterraba, repolho, cenoura e pepino. Só eu que fico com vontade só de ver a foto? #alokadasalada

Post Salada_3

A única verdura que comemos muito mas que não dá pra preparar antes é o tomate, então ele ficou pra picar no dia em que formos comer mesmo…

E assim eu economizei um mega tempo nas minhas noites da próxima semana pra eu poder escrever mais pra vocês!

E vocês? Como otimizam o tempo e o dinheiro de vocês?

Fiquei curiosa pra saber…

Logo mais quem sabe eu volto com a receitinha do Sunomono ou mostrando como eu faço pra congelar as carnes em porções separadas? Se vocês quiserem…

  • Josiane Borges

    Legal a dica de lavar, picar e guardar separado em saquinhos. Mas será que o alface resiste uma semana na geladeira mesmo dessa forma? Pq ele é tão sensível rs

    Eu costumo preparar o tempero antes. A cebola e o alho eu não pico toda vez que for cozinhar, faço no liquidificador! Bato duas cebolas e quatro cabeças de alho com óleo até cobri-los, dura um mês em um potinho bem fechadinho no geladeira e me economiza um tempão!!

    • Oi Josiane!
      Te conto no final da semana se durou esse tempo todo mesmo! hehehe
      O tempero eu costumo fazer só com alho e sal, porque a cebola costumo mais picadinha e não uso pra fazer arroz, essas coisas. Aliás, a receita tá aqui http://www.futilmenteinteligente.com.br/2012/02/receita-tempero-alho-e-sal.html
      É igual ao seu?

      Bejooo e obrigada pela visita!

      • Josiane Borges

        Vou aguardar o seu relato! rs
        o tempero que faço é simples também, mas é um pouco diferente do seu, coloco duas cebolas picadas grande e quatro cabeças de alho com óleo suficiente pra cobrir e bato tudo no liquidificador, mas tento não deixar virar uma pasta, pra ter um pedacinhos.
        O sal prefiro colocar depois, pq diz minha mãe que não é bom refogar o sal com o alho e a cebola. (não sei o pq rs)
        Muito legal o seu blog tbm! vou visitá-lo junto com msg!
        bj

        • Oi Josii!
          Obrigada! 😉

          Passa lá sempre sim! Vai ser um prazer ter você lá e aqui! 😉

          Bejoo!

  • Valéria

    Belo post Milla ! Muitas vezes quando eu percebo que vai ter mais comida que preciso ( ainda não consigo calcular tão bem ) , eu separo em potes ou sacos de congelamento e .. voilá ! Fico prevenida para imprevistos, esses dias um belo capelete, molho de tomate e alguns files de frango, congelados há mais ou menos um mês , salvaram a pátria num dia turbulento !

    Deus me livre jogar comida nos tempos que tudo é tão caro e tanta gente padece de fome !

    • Pois é, Valéria! Não consigo evitar pensar nas pessoas que não tem o que comer nessa horas…

      Bejooo e obrigada pelo comentário!

  • Muito boa a dica… eu procuro comprar, sempre em quantidades menores para não estragar, mas tem coisas que é inevitável… gostei da ideia e vou testar aqui na house!
    Abraço!
    Cris

    • Oi Cris!
      Tem coisa, tipo couve flor, que não dá pra comprar menos, né? O repolho tem lugares que ainda cortam ele no meio…
      Aqui em casa também compramos tudo ‘mini’! Depois me conta se deu certo!

      Bejooo!

  • Flávia Senise

    Oi Mila tudo bem, bom desse assunto eu entendo bem pois moro com o marido e com uma filha de onze anos e não tenho empregada e já tenho vários truques que fui aprendendo com o tempo. Primeiro; aos sábados é dia de feira já vou a feira ou ao mercado com a lista de ingredientes que preciso ao longo da semana já com um cardápio semanal já estabelecido. Sempre compro frango e peixe na feira pois já sou conhecida e eles fazem vários tipos de corte conforme vou pedindo. Segundo; chego em casa da feira e já lavo tudo separo TUDO MESMO, mas não ralo pois a minha experiência não foi boa, quando chegou no final da semana toda a salada já estava feia e achei o gosto diferente. Mas só de ter tudo lavado já facilita (esse processo dá muito trabalho mas é o mais importante). terceiro; tenho saquinho com zip (aqueles que são comprados em mercado) e separo tudo neles por ex: um peito de frango da mias ou menos 12 filezinhos, assim separo de quatro em quatro em cada saquinho. Quarto; faço todo o pesado no domingo tipo (arroz, feijão a sopa que como a noite) e separo em potinhos e congelo, tiro conforme vai acabando. Bom meu relato ficou grande espero que tenho ajudado, além disso tenho muita organização em todos os quesitos para se manter uma casa organizada e limpa. Adoro seu blog e me identifico muito com isso !!! Bjs

    • Oi Flavia! Quanta dica!
      Eu adorei e acredito que os leitores também devem ter adorado!

      Muito obrigada!

      Bejooo!

  • Priscila

    Boas dicas hein!
    O meu problema com comer bem verduras e legumes é fazer compra dia sim dia não… Com trabalho em tempo integral + facu + namorido com TG pra fazer + 2 gatos-filhos + casa pra arrumar fica meio impossível… Supermercado só fim de semana e olhe lá… Inevitavelmente acaba caindo nos congelados e embutidos da vida (haja sódio!). Então ter um truque pra conseguir ter uns vegetais frescos na geladeira e manter uma alface por mais de 2 dias já é uma vitória, rs…
    Pode mandar mais dicas!!

    • Ebaaaa! Jajá eu posto mais dicas então!

      Bejooo!

  • Tayssa

    A minha madrasta tem um congelador super prático… ela congela tudo picado. Sempre tem cebola picada, milho picado, ervilha picada…

    Além disso, ela sempre separa as coisas antes de congelar… por exemplo se ela compra camarão (ela mora no nordeste), ela coloca os bichos sozinhos numa tábua até eles congelarem. Depois que eles estão congelados ela junta tudo no mesmo saco… daí quando ela quer um tanto, ela consegue separar do resto.

    Uma coisa que eu gosto de fazer também e congelar é sopa… congelo as porções certinhas, daí já como o tanto certo e ajudo a segurar a balança… hehehe

    Amo de paixão o Casando Sem Grana que me inspirou muito pra fazer o meu casamento (já vai fazer 1 ano), e hoje amo de paixão o Morando Sem Grana… não me manifesto muito mas tô sempre aqui… de fã!

    Beijos

    • Oi Tayssa!
      Que bom saber que você é nossa fã!
      Manifeste-se sempre, por favor! 😉

      Eu congelo TODAS as minhas carnes dessa forma que você disse que sua madrasta congela o camarão! Super prático!
      Se quiserem ensino pra vocês num próximo post!

      Bejooo!

  • eu sempre embrulho a couve flor, o alface eu limpo e corto, e com o plastico filme eu tampo.

    Deste jeito nunca tentei… mas vou tentar

    bjo

    • Oi Lidiane!
      Tenta aí e depois me conta o que deu!

      Bejooo!

  • Thaisa Cortellazzi

    Olá, gostaria de saber como vc prepara o sunomomo?

  • Camila

    Também estou esperando o testa da alface! Já nem comprava mais, porque estragava. Isso de fazer compra só para duas pessoas, que só ficam em casa a noite (eu e meu marido trabalhamos o dia inteiro) é muito complicado.

    Teve uma época em que eu pedia: “Quero 10 fatias de mussarela e 10 de presunto”, simplesmente porque nunca acertava a quantidade de gramas!

    Beijo Mila!!

    • Oi Camila!
      Te conto no final da semana como tá a alface, tá?
      Frios são coisas que SEMPRE jogamos fora em casa. A gente nunca sabe qto comprar…

      Bejooo!

  • Wanessa Lima

    Oi Mila!!!!

    Seria interessante descobrirmos uma dica de como conservar melhor os frios…também desperdiço muito aqui em casa 🙁
    Amei seu post!
    Bjuuu

  • Juliana

    Se cozinhar para dois já exige um tanto de organização, imagina pra uma! Fora a preguiça de sujar louça… Mas com o tempo (e com a minha mãe) também fui aprendendo a fazer porções das coisas. A primeira providência foi ter potes plásticos que armazenem a quantidade certa para uma refeição. Neles, eu congelo feijão, molho, carne, etc. Falando nisso, para dar menos trabalho, também aprendi a cozinhar um pouco mais, consumo uma quantia e já faço as porções certas com o resto, congelando para as próximas vezes – faço isso principalmente com molhos.
    Sobre a salada, já costumo fazer isso com a alface, mas não tinha pensado no resto. Acho quer vou testar com o repolho. A cenoura não gosto muito porque fica meio “sequinha”, não?
    Ah! E uma dica que aprendi com uma amiga agrônoma, a alface hidropônica dura mais… eu testei e faz sentido!

    Bom texto, boas dicas 😉

    Bjos
    Juliana
    http://vidasingular.wordpress.com/

  • Jessica

    Voces podiam fazer um post sobre como congelar alimentos, tipo arroz…
    Quais alimentos podem ser congelados e quais nao podem…
    Vou me casar daqui 4 meses e preciso aprender sobre isso kk

  • Raquel

    Concordo com a Jéssica! Um post sobre congelados e afins seria ótimo! Também vou casar logo! hehe

  • Alessandra Lamunier

    Amei demais essa dica. Vou passar a fazer assim.