Gente, pausa nas fotos para esse texto que é complementar a tudo o que já estamos falando aqui desde o começo da semana ( também por que eu preciso criar e fotografar mais looks pra semana que vem, hahaha). Você sabe como ou tem táticas como parar de gastar com roupas e sapatos?

A culpa não é só disso mas é fato que o consumo desenfreado, a moda e suas tendências e toda a facilidade de compra de hoje em dia, nos levam a adquirir cada vez mais sem planejar ou pesquisar muito antes de passar o cartão. Longe de mim ser contra se vestir bem e comprar mas sem um freio puxado, você nunca terá dinheiro poupado para tantos sonhos que planeja a tempos. Estas são 12 dicas simples mas muitas delas desafiadoras para os compradores compulsivos.

 

12-dicas-infaliveis

Procure pela internet. Vasculhe blogs e outros sites e você vai constatar que poucas pessoas estão verdadeiramente interessadas na sua saúde e bem estar financeiros. Estamos sempre sendo instigados a adquirir, adquirir e quando apertar, é só parcelar em 10x sem juros. Um dia eu lí em algum lugar que até a nossa sanidade mental e espiritual adoecem com esse capitalismo frenético e eu não duvido.

Se você quer não só economizar como também ser mais assertivo em suas compras e, quem sabe, parar de comprar por um tempo, veja estas dicas.

1. Evite blogs, Instagrans, Páginas do Facebook, sites de moda e comércio

Não estou pedindo para que você pare de acessá-los, preste bem atenção. Estou pedindo para que diminua um pouco a frequência pois a blogueira recebe quase toda semana lançamento de produtos para testar e mostrar atiçar para as leitoras. Ninguém faz nada de graça e por mais que o produto seja ótimo de verdade, você vai ter lombrigas até comprá-lo. Se toda semana ela apresentar novidades de maquiagem, roupas, sapatos, acessórios, restaurantes, baladinhas e tudo o mais, é comprovado que pelo menos 2 vezes ao mês suas compras serão direcionadas a estes produtos. Agora pense: quais deles são necessidades de verdade e não somente um impulso?

O mesmo vale para lojas online. Pegue leve.

2. Não vá a shoppings e centros comerciais se não puder gastar

É tentação demais, amiga. Mentalize aquela loja que você adora liquidando tudo a 30, 50 e até 70%!!! Você jura que não entra nem pra levar uma blusinha? Cuidado! Se a grana tá curta de verdade ou se você tem um objetivo maior em sua vida, peça ajuda a familiares e amigos para distraí-la e não incentivar passeios por esses lugares.

3. Saiba bem o que você tem e o que realmente precisa

Parece até que estou chovendo no molhado mas sabe quando você compra sem ter certeza se já tem? Nunca aconteceu com você? Para itens de vestuário é mais difícil mas sabe o que é fácil de acontecer? Você comprar coisas iguais. É muito fácil também comprar sem estar precisando de verdade e só por que “é lindo”.

4. Agradeça mas não pegue panfletos de promoções e anúncios

“Senhora, senhora, promoção, olha aqui!!!” responda com um obrigada e saia correndo, hahahaha. Mas é sério: além de acumular lixo as promoções saltaram da folha direito para o seu ♥

5. Delete sem abrir emails de lojas

Quem usa Gmail notou que agora os informativos de lojas, são acumuladas na aba “Promoções“. Vá até lá e delete sempre tudo sem abrí-los. Quando você estiver firme com as finanças – e só quando estiver realmente firme – abra os novos que chegarem e vá se descadastrando das listas.

6. Ao invés de comprar tome emprestado

Vai a uma festa? Peça emprestado o vestido de festa da sua amiga. Sapatos, bolsas é tudo a mesma coisa. Aliás, mesmo que suas familiares e amigas não partilhem do mesmo tamanho e/ou gosto por roupas, bolsas e outros acessórios são mais fáceis de se fazer esse esquema.

7. Se precisar REALMENTE comprar, use dinheiro ao invés de outros meios de pagamento

Quando a gente paga uma compra com dinheiro vivo, sente o peso de entregar todas aquelas notas de alto valor na mão do caixa. Com cartão e cheque é diferente, a sensação é de dinheiro infinito, afinal de contas você nem o toca, não o “enxerga”.

8. Se precisar REALMENTE de roupas e sapatos, vá a bazares (NÃO outlets!) ou promova um

Em um bazar você encontrará não só peças velhas e feias. Toda vez que eu vou a um encontro peças maneiras e atuais a preços honestíssimos. Promover um bazar em casa ou no salão do prédio é divertido pra caramba e você ainda pode chamar as amigas e ao invés de vender, trocar peças. Eu só evitaria ao máximo os Outlets pois, diferente do que se pensa, os preços não são nada baratos. Existe o truque da porcentagem de desconto que, na verdade, nada mais é, que um preço normal que se deveria pagar por aquela peça.

9. Não faça das compras uma fuga para os problemas

Eu era assim: se estava triste, comprava. Se estava feliz, comprava, se recebeu o salário é lógico que eu comprava. E sabe o que é pior? Aquela desculpa esfarrapada de “Ai, mas eu trabalho tanto! Eu mereço me vestir bem”. Merecer você merece mas existe o momento certo para comprar e neste de impulso e de sentimentos aflorados, eu não recomendo. 99% vai dar problema financeiro depois.

10. Se você se sente ansiosa para comprar e depois culpado por tê-lo feito, é hora de pedir ajuda

Não se negue ou envergonhe por pedir ajuda de um profissional. Você já deve ter ouvido falar da Compra Compulsiva que é SIM uma doença e tem tratamento. Mas é preciso pedir ajuda de um profissional o quanto antes.

11. Pare de se preocupar com a opinião alheia

As mulheres, principalmente, compram muito preocupadas em estarem na moda, não ficarem de fora dos assuntos, das festas e causar aquela “invejinha branca” nas colegas do escritório. Se você disser que não é verdade, está enganando a sí mesma. O medo de estar “mal vestido” ou “fora de moda”, nada mais é que uma preocupação excessiva com a opinião alheia. Contanto que você esteja vestido, de roupas limpas e de acordo com as normas do seu ambiente profissional, desencane da opinião e julgamento das pessoas. Quem é que paga mesmo suas contas?

12. Troque conteúdo de consumo por conteúdo cultural

Ao invés de tantos blogs, sites, revistas, Instagrans, programas de Tv e afins falando de moda, que tal ler mais sobre viagens, cultura, passeios, matricular-se em um curso de línguas, de extensão acadêmica, voluntariar-se em programas de ajuda humanitária ou animal e abrir todos os seus horizontes no geral? Tire um pouco o foco de sí mesmo e do consumo e abra para o mundo e para uma vida mais simples, desprendida e humana.

 

Te desejo boa sorte! 😉

Beijos da Sam!

1 COMMENT

Comments are closed.