Oi, gente!

Sou a Flávia, uma mineira de Uberlândia que veio parar no Tocantins! Aqui no Morando vou falar um pouquinho de tudo, mas quero começar dividindo um pouco da experiência de sair da casa dos pais, e mudar de cidade/estado – não só na questão prática, da mudança e do carregamento de tralhas nossos pertences, mas também do sentimentos envolvidos nisso.

Vim parar aqui por um ótimo motivo: casei, marido conseguiu emprego em Palmas, e como eu trabalho de qualquer lugar, viemos começar nossa vida aqui. A cidade é ótima, bem organizada, e as pessoas super acolhedoras – por ser uma capital nova, com pouco mais de 20 anos de existência, a maioria das pessoas daqui veio de fora, e sabe qual é a sensação de se estar longe da família. Apesar da qualidade, também tem seus defeitos: faltam bueiros aqui e ali, o comércio e serviços são meio “escondidos” (Internet? Lista telefônica? Nah, aqui é praticamente tudo na base da indicação!), e o calor… ah, o calor… Pelo menos, pra compensar isso, aqui tem um dos céus mais lindos do país, como vocês podem conferir na vista da minha sacada ali em cima.

Tenho 27 anos, e até o início do ano, nunca tinha saído da casa de meus pais. Moramos em várias cidades, mas eu sempre tinha o conforto da casa montadinha, com tudo à disposição, comida gostosa da mamãe, roupinha lavada e passada, aquela mordomia báásica que a gente não repara até que todas as responsabilidades se voltem pra gente. Não que seja complicado ou impossível cuidar de casa, de mim, e das minhas coisas e do marido, mas já perdi a conta de quantas ligações foram feitas pra Minas pra perguntar desde a quantidade de sabão que se usa pra lavar roupa a várias receitas de comida 🙂

Das coisas que se aprende mudando pra sua casa: montagem de móveis :P
Das coisas que se aprende mudando pra sua casa: montagem de móveis 😛

Mas… tudo começa na montagem da casa, né? O que é indispensável, o que é necessário, o que é ‘luxo’? E a resposta é: além do quarteto cama – chuveiro – geladeira – máquina de lavar, fatalmente indispensável, varia muito, em se tratando de coisas ‘grandes’. Muita gente dispensa o fogão, por não gostar/precisar cozinhar, muitas ficam sem tv, mesa de jantar, e vivem tranquilamente. Eu mesma passei quatro meses sem sofá (e nenhum outro lugar pra sentar além das cadeiras dos computadores, esses sim indispensáveis por aqui, pra mim e pro marido), e deu tudo certo. Antes de sair pensando no que você PRECISA pra sua casa, pense nos seus hábitos, em como você gasta seu tempo livre, em que espaço da casa vai passar mais tempo, e invista ali primeiro.

Agora, algumas coisinhas básicas acabam pegando a gente de surpresa, como um porta shampoos/sabonete no banheiro (porque ok, o shampoo até pode ficar no cantinho, mas onde se apoia o sabonete, se o banheiro não tem um local próprio?), um varal para estender roupas, prendedores, ou prateleiras, se você sempre morou em casas com armários e sua nova morada não dispõe deles. Outros detalhes que não são indispensáveis, mas podem ajudar seu cantinho a ter uma cara de lar, são fotos, enfeites, quadros, e qualquer objeto que traga boas lembranças. Pode parecer meio bobo falar nisso, mas acreditem, faz muita diferença estar em um espaço que tenha a sua cara – mesmo que ela se traduza em uma pilha de livros antigos, um brinquedo que tem guardado desde sempre, retratos, ou um quadro/ilustração que te deixe feliz quando olha pra ele.

Achievement unlocked: Sofá!
Achievement unlocked: Sofá!

Pra uma apresentação, acho que falei demais, né? Volto logo contando um pouquinho da minha saga de dona-de-casa novata, das minhas descobertas magníficas e dos fails gigantescos também. Ah, se você quiser dividir com a gente sua história, ou algum fato engraçado/memorável que aconteceu no início da sua vida independente (ou até depois de já se considerar “experiente”), vou ficar muito feliz de ler, e quem sabe, publicar por aqui! Só mandar pra [email protected] 😉

Até mais!

Assinatura Fla

  • Oi Flávia!!!

    Adorei o post, eu vou completar 23 anos em agosto e me caso esse ano, e até hoje estou no conforto da casa do pai e da mãe, com todas as mordomias e regalias… Minha irmã que é 4 anos mais nova que eu já saiu de casa pra estudar, mora sozinha e se vira como pode…

    Eu fiz facul e pós a distância e continuei aqui na minha terrinha, sou natural desta cidade e depois que casar continuarei morando aqui hehe…

    Enfim qdo eu finalmente me mudar pra minha casa terei muitos desafios pra seguir…

    Adorarei ler seus relatos pra me inspirar, e com certeza tbm irei recorrer várias vezes pra minha mãe hehe…

    Beijinhos e estou anciosa pra ler os próximos post…

    • Brigada, Pâmela! Até logo então 😉
      Beijinho!

  • Ana Priscilla

    Ótimo post Flávia, realmente só percebemos o peso das responsabilidades quando elas chegam. Bjs flor

  • Bianca Estrella

    Flávia,
    Parece até que eu estava lendo as minhas próprias experiências em seu post. Estou passando pela mesma situação neste momento: casando e saindo da casa dos pais. No meu caso, são 31 anos de mordomia. Tive uma experiência engraçada semana passada quando tive que fazer as primeiras compras para minha casa no supermercado. Como gostamos de cozinhar a parte da comida foi fácil. Mas e a parte dos produtos de limpeza? Fiquei perdida nesse mundo desconhecido dos produtos de limpeza. Essa experiência pode soar meio “patricinha” mas o fato é que eu não sabia a função exata de cada um dos zilhões de produtos de limpeza que um mercado disponibiliza atualmente. Fiz um workshop com mamãe e acho que já estou mais familiarizada. Mas é impressionante a quantidade de responsabilidades que a gente se depara neste momento! Acho que Palmas é bem parecido com Brasília, cidade onde moro. Espero que você se adapte bem! Beijos e continue partilhando suas experiências com a gente!

    • Bianca, meu próximo post vai ser justamente disso: a primeira compra no supermercado! Realmente, é de ficar perdida não só por, quem sabe, nunca ter se preocupado com isso, mas no meio de TANTA opção e coisas “milagrosas”, a gente se perde, né? Palmas lembra bastante Brasília mesmo, mas achei aqui mais humanizado, mais pra pessoas e menos pra carros… to adorando! Beijo!

  • Alice Brito

    Flávia, muito bom esse seu post!
    Obrigada por compartilhar suas novas experiências!

    Como você, após casar estarei mudando de cidade e estado. Sempre fico me perguntando: como será essa nova vida?! Após 26 anos morando com meus pais, além de sair de casa vou pra beeem longe!!

    Estou ansiosa para ler os demais posts!!

    beijooos

    • Te falo que é super gratificante, viu? E depois você até acaba se divertindo com os ‘fails’ que aparecem… tem a parte ruim, claro, mas no geral é muito bom crescer! Beijo!

  • Ana

    Parabéns pela nova fase Flávia… eu me casei ha quase um ano mas ainda não pude viver esta parte gostosa da mudança porque meu AP ainda não está pronto e estou morando provisóriamente em uma edícula da minha sogra, mas, com certeza partilho de muitas coisas com você, coisas essas que só nós, as recém casadas sofremos… kkkk

    Um beijo, ficarei ligada nos seus posts! 😉

  • Sheila

    Que delicia teu blog ..estou adorando…

    Beijinhos
    Sheila
    http://vidasuculenta.blogspot.com

  • Muito legal o seu post, Flávia! A minha casa está em reforma no momento e espero conseguir terminá-la antes do casório! Quero muito que o meu novo lar tenha a minha cara e a cara do Elton!

    Beijinhos

  • Renata

    Oi Flavia, adorei mesmo seu post.
    Estou preparando meu casório e não paro de pensar nesse momento de passar assumir as responsabilidades que não me pertencem.
    E acredite se quiser, tenho querido me deixar tão preparada que já baixei até um aplicativo no tablet que faz reconhecimento de código de barras dos produtos e me diz em qual mercado está mais barato! Também já encontrei até uma “metodologia” de limpeza de casa que ajuda a gnt a limpar ela durante 15 min durante a semana e poder aproveitar nosso fim de semana com cuidado, super legal!

    Boa sorte nessa nova fase Fla!

    • Ellen R

      Renata me passa essa metodologia, preciso dela urgente!!! A casa que estou morando é enorme!!!! Parece que nunca vou acabar de limpar!! hauhauhauhau!!

  • Raysa Soares

    O mais legal desses posts é tirar da gente aquela loucura de que tem que estar TUDO montado na casa assim que o casal voltar da Lua de Mel, não é assim com ninguém né? . Me caso daqui a dois meses, moro há 22 anos na mesma casa e vira e mexe me dá medo pensar em sair do conforto da casa dos meus pais, mas estou sonhando com minha casinha, mesmo ela sendo bem simples!!

    • Ah, Raysa… se eu tivesse essa loucura, tava surtada há tempos! hahaa
      Me casei em outubro do ano passado, e só mudei pra minha casa, ainda sem muita coisa, em janeiro. Ou seja…
      A gente tem que se adaptar e viver da melhor forma que conseguir com a estrutura que tiver; afinal, é uma nova fase começando e começos nunca são o ápice de nada, né?
      Beijo!

  • Ellen R

    Estou casada a 4 meses morando em uma casa emprestada pelos meus pais, já que a minha casa a construtora atrasou a entrega. Tem sido uma saga mesmo essa vida, nossa casa provisória se resume a um quarto, banheiro e cozinha, isso em uma casa que tem 6 quartos, 3 banheiros e é enooorme, mas como não levamos os móveis, ficou tudo vazio e estamos usando só três comodos…Começo realmente é difícil, ganhei praticamente tudo mas ainda não abri nenhuma das caixas, to ate sem fogão…ganhei tanta coisa elétrica tipo, panela de arroz, risoto, grill, panela elétrica que tbém nem abri a caixa do cooktop, nem do forno e nem do microondas, se colocar tudo em uso depois fica difícil pra levar de mudança e a principio achamos que ficaríamos nessa casa poucos dias, mas ai se passou 1 mês, dois, três, quatro e ainda estamos aqui… Tá uma loucura mas tenho feito altas jantares pro marido mesmo assim… é difícil mas a gente sobrevive e vai se adaptando né…

    • Ellen, nos meus dois primeiros meses aqui eu fazia todas as refeições na panela elétrica, porque meu fogão também demorou chegar. E sabe que dá pra se virar bem? A gente se apega no ‘tem que ter’, quando no final, dá pra viver bem com muito menos do que a gente imagina!

  • Ellen R

    Sabe que estou curtindo mais esse MSG do que o CSG… acompanhei o CSG durante toda a fase pré-casamento e me ajudou muuuito, muito mesmo, mas não sei se é pq os sentimentos agora são diferentes, estou mais calma (antes do casamento estava histérica!!) ou e é ver pessoas que passam pela mesma situação que eu…mas acho que este blog é tão mais proximo, eu penso em uma coisa e vcs colocam aqui, como na semana em que queria saber se dava para colocar uma cama queen no meu quarto e a Mila fez um post do quarto, queria montar o banheiro e a Mila fez o post do Banheiro, queria colocar uma super mesa na sala de jantar e a Mila fez o post da sala de jantar, ate o ap dela é da mesma contrutora do meu e praticamente igual…. E esse de hoje que traduz minha vida???!!! Estou adorando o blog, sinto como se fosse alguém conversando cmg, esses dias li no face uma menina reclamando que o blog estava muito “pobrinho”, pra mim esta excelente!!! Vcs estão de parabéns

    • Ownn, que feliz, Ellen! É bom a gente ver que não estamos sozinhas, né? Se tiver alguma sugestão de matéria, manda pra gente! A ideia aqui é nos ajudarmos pra gente viver melhor e com mais conforto, sempre dentro das nossas possibilidades! Beijo!

  • Cintia Barbo

    É Flávia… quando eu sai de casa, ACHAVA que sabia lavar roupa…..que engano! Dormi um tempo sem cama também, mas sabe aquele gostinho……….to no chão, mas to me virando! Isso é mto bom!
    Felicidades na casa nova!

  • ana c.

    nossa amei, quando casei todo foi festa ficavamos ate de madrugada montando moveis,tudo lindo ate o fogao chega depois de uma semana euzinha resolver fazer uma comidinha imediatamente problema 1:sem saber quanto consumir gastamos o dobro do que usamos hj em compras pareciamos duas criancas na loja de doce. Problema 2: o raio do fogao vem com uma protecao colada ao redor das bocas, um adesivo plastico e eu com minha intelliganciasufocada pela emocao nao dei atencao, o que aconfeceu? cara de fiz merda na hora de limpar e ate j ta aqui o vestigio do crime.Mas amamos lembrar e contar. bjs

  • Robertha

    Flavia, tudo bem?

    Muito bacana o seu primeiro post. Se vc me permite, vou falar como aconteceu comigo.

    Tenho 31 anos e o namorido, 37. Eu saí da casa dos meus pais aos 15 – ele, aos 17 e foi morar totalmente sozinho aos 27. Moramos juntos há 4 anos e mesmo com toda a experiência que nós dois tínhamos na manutenção, organização e adminsitração de uma casa, passamos maus momentos tentando organizar a “nossa” vida juntos.

    É claro que toda a vivência anterior economizou tempo, pois tive muito tempo pra aprender, testar e saber o que funciona, como faz, essas coisas. Mas, ainda assim, o “segredo” é fazer junto e achar a melhor forma pro casal. O que funciona na minha casa, pode não ser a melhor solução pra outros casais. Aliás, mesmo depois de 4 anos, ainda não consiguimos acertar em todos os quesitos – estamos tentanto, sempre!

    Bjs e boa sorte pra vcs!

  • Melanie

    Casar e se mudar é algo muito diferente mesmo!! Mas a sensação é incrível. Fomos muito abençoados de ter ganhado TV, sofá, geladeira, fogão, cama, e de ter conseguido juntar dinheiro para a máquina de lavar e armários da cozinha.
    Ainda estamos sem mesa de jantar e com apenas 4 lugares para sentar na sala (são dois sofás de dois lugares apenas!), ou seja, quando vem alguém visitar, a gente pega a cadeira do computador e um banquinho, ou improvisa no chão mesmo.

    Mas é maravilhoso poder ter o cantinho.
    Algumas coisas ainda faltam, e a gente improvisa como pode… E… coisa boa improvisar às vezes, né?!

  • Dayane Souza

    OI, Flávia! Eu acompanho o Casando Sem Grana já há quase 2 anos e o Morando Sem Grana há pouco tempo. Acabei de ler seu post de apresentação e sinceramente, eu tenho muito receio da vida pós-casamento. Ainda namoro e estou para noivar, daqui a um ano mais ou menos temrinarei minha graduação e me casarei, mas confesso que estou muito insegura. Apesar de ter tarefas domésticas na minha casa atual onde moro com meus pais desde que nasci sem sequer mudar de casa, rsrs, é muito diferente começar a perceber que tudo mudou, sua compania, seus afazeres que aumentaram, sua rotina que ficou ainda mais puxada. Eu gostei muito do seu post, vou ficar acompanhando, quem sabe não vou me acostumando com essa vida futura que me aguarda lendo o que vc escreve né? Beijos! 🙂

    • Dayane, não precisa ficar insegura 🙂
      Algumas coisas mudam, a gente passa alguns perregues básicos, mas vale MUITO a pena ter sua casa, seu cantinho, cuidar de tudo do seu jeito… eu às vezes me pego toda boba olhando pra minha sala, ou pro escritório, e meu coração fica quentinho de saber que é minha casa, meu canto, meu refúgio, o lugar que eu e marido montamos com tanto amor. Foca nisso, e a insegurança vai embora! Beijo!

  • Valéria

    Ah, essa vida de responsabilidade de Dona (recém) Casada …lembro o choque ao chegar na casa nova e descobrir que tem tanta coisa para fazer . Roupas, comidas , organização, lembro que tive medo e saudade da casa de mamys !

    Ainda bem que aprendemos tudo nessa vida não é ?

    Mesmo não mudando de estado, a mudança que fiz de um lado para o outro da minha cidade também foi bem difícil, o que compensa é que posso dizer que ” È MINHA CASA” .

    Adorei o posT !

    • Valéria, essa sensação é sem igual MESMO!
      Beijo!

  • Letícia Bender

    Que demais!
    Lendo lendo e lendo suas matérias e descubro que você também é de Palmas! 😀
    Atrasado mas bem-vinda a essa capital calorosa!

    Muito bacana tudo aqui. Parabéns.

  • Regiane

    Temos que dar o valor da entrada á vista?

  • Regiane

    Como é a entrada, não tenho FGTS

  • Alyne Chaves

    Olá Flávia,

    super me identifiquei com seu post. Também sou recém casada (cinco meses) e estamos nos mudando. Somos de Campo Grande/MS e agora vamos morar em Ponta Porã/MS. Nossa nova cidade faz fronteira com o Paraguai e nossa casa será a uma quadra do país vizinho. Estamos adorando a novidade, ainda mais por que aqui é o paraíso das compras. São opções infinitas e coisas do mundo inteiro! Estamos só no início da aventura. Bjos

  • Fabiana Cristovam

    Nossa Flávia, adorei!
    Moro em Rondônia, bem parecido com o Tocantins e te entendo nas dificuldades, mas embora não tenha mudado pra longe dos meus pais, super sei como é não saber a quantidade de sabão que se usa pra lavar roupa, rsrsrsrsrs.
    Agora estou na fase de aprender a tirar as manchas das roupas. Sigo todos os sites de dicas de casada que encontro, mas confesso que tem coisas que só fazendo e errando pra aprender, rsrsrsrsrsrs.

    Beijos 😉

  • Danielle Botelho

    Olá Flávia! Queria dizer que estou muito feliz por ter encontrado o seu blog. É muito bom encontrar alguém que possa compartilhar uma experiência parecida com a nossa, hoje em dia parece que o foco é só no glamour da vida e todo mundo tem vida de cinema. Eu ainda não me mudei, mas falta pouco e tenho mil perguntas e muita ansiedade. Parabéns e obrigada, virei aqui mais vezes. Abraço!

  • Tom

    estou de mudança de SP para Fortaleza no Ceará pois minha namorada é de lá, estamos há uns 3 anos juntos e a expectativa é que para o próximo ano eu já consiga ir, ou em 2017 .. espero que me adapte ao local, estou indo pois ela não abre mão de sair de lá mas eu estou abrindo mão de 32 anos de São Paulo por ela, por amor, pela companhia e como trabalho por conta, o primeiro passo é ver se a cidade esta de braços aberto para o que eu faço.. é um fator fundamental para minha mudança .. vamos ver o que ocorre.. ótimo site !!