Oi gente linda!

Hoje eu não estou aqui pra falar de decoração. Aliás, não estarei aqui pra falar só, vamos falar sobre muuuuitas coisas! E eu estou feliz demais e super empolgada com as novas ideias que estão surgindo! Amo demais vocês! <3 [A emotiva!]

O assunto do dia é a escolha da primeira casa!

Quando estamos sonhando com o nosso cantinho, costumamos não pensar em alguns detalhes que depois de um tempo se tornam problemas sérios e tiram nossas preciosas noites de sono.

Eu e o marido nos apaixonamos perdidamente pela nossa ‘cobertura’ quando vimos fotos dela na internet. Quando conhecemos pessoalmente então… quase perguntamos pro antigo proprietário: podemos mudar amanhã?

Não, nós não temos um pé de dinheiro plantado num vasinho do nosso ap, e ainda tinha muito chão pela frente pra descobrirmos como poderíamos bancar aquele sonho. Mas essa busca pelo dinheiro, forma de pagamento, financiamento, às vezes tira a nossa atenção de coisas como infiltrações, se tem ou não garagem, elevador, escada…

Post Escolhendo a primeira casa_2

Tivemos dois problemas por aqui que ainda não conseguimos resolver. O marido é APAIXONADO pelo carro dele! Pensa em um engenheiro mecânico que entende como tudo funciona, e das consequências do sol na pintura do carro o dia todo… agora pensa nessa pessoa, mas com o ‘adendo’ de ser apaixonado por carro [como todo brasileiro, segundo aquela propaganda da Ipiranga! Hahaha]

Quando olhamos o ap e ele viu que não tinha cobertura na garagem, a primeira coisa que ele queria saber é se tinha projetos de colocar a bendita. Só que as coisas num condomínio com 32 apartamentos não andam tão rápido assim… já se passaram mais de 6 meses que resolvemos em reunião pela cobertura e nada de tomarem uma atitude. E isso sim tira o sono de um homem!

O outro problema é que, como moramos na cobertura, o piso do terraço é a cobertura do andar de baixo. E quando não é feita uma boa impermeabilização nessa laje, a infiltração é uma certeza nas épocas de chuva!

Segundo a Cris e o Guilherme, casal de amigos super queridos do meu coração [disse que ia falar aqui que a ideia foi dada por eles], o mais importante de tudo é, antes de mais nada, pensar no que você NÃO quer! O bairro que você não quer morar, o tipo de casa que você não gostaria de ter, e por aí vai. Cada um tem seus critérios.

Mas tem outros pontos que eu considero importantíssimos, e queria compartilhar com vocês:

– Privacidade: quem já morou em prédio sabe que um condomínio não é o lugar mais privativo do mundo. Além dos vizinhos morarem a uma parede de distância de você, pode acontecer de ter outros prédios do lado e que, destes apartamentos, os vizinhos possam ver dentro do seu. Fora os problemas com barulhos, que quase todo condomínio tem. Então a dica é: se você é uma pessoa que presa pela privacidade, dê preferência a casas.

– Barulho: quem nunca passou uma noite em claro por causa daquela festa no vizinho que, além de tudo, você não foi convidado? Esse problema não é exclusivo de apartamentos. Já morei em casa e apartamento, e confesso que meus maiores problemas com barulho foram quando eu morei numa casa, por incrível que pareça. Nesse caso, as dicas são: escolha bem o local da sua casa. Se couber no seu bolso, prefira os condomínios fechados, onde as regras costumam ser mais respeitadas porque são os administradores e seguranças que cobram as tais regras – eles são pagos pra isso! No caso dos apartamentos, prefira os andares mais altos por serem mais longe da área onde costuma ficar os salões de festa e as garagens. Fujam dos apartamentos do térreo se você não tem problemas com escadas ou se o prédio tem elevador. É bom levar em conta também se a rua do imóvel é barulhenta ou não, e os horários que ela costuma ter mais movimento.

Comodidade: você dirige? Tem carro, ou vai de ônibus pra todo lado? Então você precisa ver se tem pontos de ônibus perto, se os ônibus que passam lá vão pra onde você quase sempre precisa ir… E as compras? Melhor que tenha um bom mercado perto, não é mesmo? De preferência aos que tem o preço bom!

– Chuvas: mora em alguma cidade que costuma ter problemas com enchente ou muita chuva? Então é importante fugir dos locais de risco, como ruas muito baixas [aquelas que costumam ficar no ‘pé’ daquele morro que você custa a subir andando] e os locais onde tem encostas ou morros que costumam desmoronar!

– Voltagem e problemas elétricos: já tem algum eletrodoméstico? Então você precisa verificar se a voltagem do imóvel é a mesma dos seus eletros, e se não, se existe possibilidade de mudança. Em algumas casas existe essa possibilidade [padrão bifásico]. Consulte um eletricista para tirar as dúvidas. Importante também observar – principalmente se o imóvel for mais velho – se existe algum possível problema elétrico, se a fiação não é muito antiga.

– Pressão da água: em alguns apartamentos esse problema é super comum, e não costumamos observar. Mas é simples: só dar descarga em um dos banheiros do imóvel e observar o fluxo do água. Nos apartamentos mais altos dos prédios a pressão da água costuma ser menor. Mas felizmente já existem no mercado várias soluções para este caso, como os chuveiros feitos especialmente para banheiros com pouca pressão.

– Problemas construtivos: Pisos ocos e infiltrações também devem ser observados. Eles podem ser problemas de umidade. Vale a pena pesquisar sobre a construtora, verificar se existem reclamações sobre os imóveis prontos e prazos de entrega, no caso de imóveis comprados na planta.

E aí, queridos? Mais alguma diquinha que vocês consideram importante de ser compartilhada?

Deixem aí nos comentários! Aproveitem e nos fale também sobre o que mais vocês querem saber! Pode ser através dos comentários ou através do email. Amamos receber e-mails de vocês! [email protected]

assinatura_mila

  • Paulinha

    Mila, eu só não concordo com a questão do barulho em aptos/casas. Eu morei metade da vida em casa, metade em apto. Em apto eu simplesmente ligo pra portaria e os vizinhos diminuem o barulho. Tive problema com uma vizinha q não se importava com as ligações da portaria, então eu e outro vizinho incomodado fizemos uma reclamação por escrito no livro do prédio e o problema acabou, pois a reclamação teve q ser lida em reunião de condomínio e ela recebeu um aviso formal de que, se não parasse com o barulho, receberia uma multa atrás da outra. Qdo morava em casa não tinha para qm reclamar, só pra polícia, que nunca queria resolver o problema. Tive um vizinho q dava churrascos uma vez por mês e eles tinham karaokê das 15h até as 4h30 da manhã. Só resolveu qdo se mudaram. A polícia se recusava a ir ao local.

    • Oi Paulinha!
      Você tem razão em relação às soluções para os problemas no condomínio!
      Ótima observação! Muito obrigada!

      Bejooo!

    • Isabella Rabello

      E quando o barulho é de seus vizinhos, digamos, “namorando”? Todo apto que moro é assim: ou é uma mulher extremamente escandalosa, ou é uma cama do apto de cima que faz o maior barulho.
      Em ambos os casos fiz reclamação formal, mas não adiantou nada. Resultado: há anos durmo com protetor auricular, mas nem sempre adianta.

      • Tive este problema com um vizinho quando ainda morava com os meus pais! Imagina…
        Também queria saber qual a solução nestes casos! Alguém ajuda a gente?

        Bejooo!

  • Michele

    Adorei o post! detalhes que realmente precisam ser visto com atenção!
    Eu e meu noivo vimos zilhões de casas aqui em Bragança Paulista e o maior problema de todas elas ou era o tamanho da casa (sala e cozinha juntas) estilo americano, que eu mão curto muito ou só ter vaga para 1 carro, o que pra gente é um big problema.
    Eu entendo lhufas de construção e essas coisas, mas vimos várias casas em fase de construção e uma coisa q meu noivo via e que eu acho que é bem importante é se a casa é feita de bloco ou tijolinho, pois muitas casas hj em dia por conta de econômia são feitas de tijolinho e depois isso pode dar uma certa dor de cabeça., é um coisa a se prestar atenção também.

    Beijos!

    • Oi Michele!
      Sim, nós devemos prestar atenção a todos os detalhes possíveis que possam nos causar problemas mais tarde.
      Esperamos que vocês encontrem logo a casa de vocês!

      Bejooo!

  • Oi, Mila!

    Parabéns pelo post! Eu nasci e cresci em uma casa, assim como o meu noivo… Não sei se nos adaptaríamos a um apartamento… Gostamos muito da nossa privacidade!

    Beijinhos

    • Oi Fernanda!
      Pois é, eu tb morei a vida inteira em casa, me mudei pra apartamento há uns 2 anos (depois do casamento) e estou gostando muito!

      Bejooo!

  • Gili

    Outro ponto importante a observar é o sol. Principalmente em apartamentos, é importante ver qual é a face do imóvel, se ele pega sol, em que cômodos e em que horário. Aqui em Curitiba, uma cidade fria, um pouquinho de sol a mais faz toda a diferença! 😉

    • E aqui em Palmas, com um sol torrante, a sombra faz toda a diferença! Ótima lembrança!

      • Tem razão, Gili!
        Só que na região que eu moro, e como a Flávia disse, nós fugimos do sol!
        Apartamentos onde bate sol o dia todo viram um inferno depois de algumas horas de sol!
        Ótima observação!

        Bejooo!

  • Sarah

    Tô nesse dilema com meu noivo…quando achamos um lugar bacana, ele está além do orçamento. Quando achamos dentro do orçamento, ele é horriiiiiiivel rsrsrsrs!!!
    E eu já queria achar o lugar pra ir decorando do meu jeito…mas tá dificil, viu? E o pior, o casamento tá marcado pra daqui 2 meses!!! =O

    Será que vamos conseguir????

    Bj, Milla. De muita ajuda seu post!

  • Francielle Matos Bispo

    Mila, deverias acrescentar um tópico importantíssimo na lista que deve ser observado antes de comprar um imóvel: Investigar se o vizinho possui – ou tendem a ter -um aparelho de karaoke! HAHAHA Paulinha, que sufoco heim! Estou passando por isso e vou te contar, se o vizinho ainda fosse afinado.. hahaha..
    Mila, adorei o post! Beijos

  • Ótimas dicas!

    Mila, te enviei um e-mail. Não sei se recebeu (a desesperada). rsrs

    • Espera só o post da Mila dessa semana, Juliany 😉

  • Mila, post super interessante!!

    Eu estou construindo minha casinha, e espero não ter muitos desses problemas, mas alguns são realmente inevitáveis!!!

    Abraços e parabéns pelo post!

    http://casaroucomprarbike.blogspot.com.br/

  • Diego

    Mila, parabéns pelo seu post. Gostei muito das dicas rs. Eu, e minha noiva adoramos as dicas de vocês!! Felicidades!